Pesquisa Dentaria.com
  Artigos
  Educação e Formação
  Apoio Bibliográfico Gratuito
  Em@il Profissional
  Classificados
  Médicos Dentistas
  Congressos
  Especialidades
  imagens
  Jornais e Revistas
 
 
  8 de Fevereiro de 2023
  77 Utilizadores online
Utiliza o odontograma do software informático da sua clínica?
  Sim
  Não
   
O Dentaria.com lançou um Fórum aberto a toda a comunidade! Participe nos temas em discussão ou abra novos temas!
 
. Ordem dos Médicos Dentistas

. Tabela de Nomenclatura e Valores Relativos (Tabela de Honorários)

. Decreto de Lei que aprova o regime de licenciamento e de fiscalização das clínicas e dos consultórios dentários, como unidades privadas de saúde

. Simposium Terapêutico Online (MediMedia)



 

Publicidade

O Dentaria.com foi-lhe útil? Contribua com um DONATIVO!


Doentes oncológicos estão mais sujeitos a apanhar vírus fatais
Noticia adicionada à base de dados do Dentaria.com a 2002-12-28


As infecções nosocomiais mais frequentes, embora variando de hospital para hospital, são as urinárias e as respiratórias. O que se deve ao tipo de cuidados a que os doentes estão sujeitos. Os pacientes ventilados, com catéteres e com algálias apresentam maiores riscos, porque representam "portas de entrada para microrganismos" resistentes a antibióticos. Ora, Portugal tem das mais altas taxas europeias de infecções com bactérias multirresistentes, embora ainda sejam residuais os casos de resistência à vancomicina (um antibiótico para o qual não há alternativas).
Entre as bactérias resistentes, uma das mais nocivas é o staphylococcus aureus, até porque se espalha muito facilmente e encontra o meio propício em sujeitos imunodeprimidos. Daí que as infecções hospitalares sejam particularmente preocupantes em doente oncológicos, até porque, além de tudo, estes são sujeitos a cirurgias demoradas. Perante isto, "tudo intervém" para piorar a situação, adianta o epidemiologista Henrique Barros: os funcionários do hospital, a desinfecção das instalações e equipamentos, a presença de visitas, etc..
Elaine Pina soma a isto dificuldades conjunturais. A crónica falta de enfermeiros sobrecarrega os que há com trabalho, deixando de haver tempo, por exemplo, para uma adequada lavagem de mãos, ou para mais amplos cuidados no contacto com os doentes.

Falta de higiene

A falta de salas com condições de isolamento, bem como de manuais de cuidados de higiene são outros dos problemas realçados por Henrique Barros, aos quais se juntam questões como a própria arquitectura dos hospitais. Aliás, não é raro ver, no parque de estacionamento de um hospital como o S. João, no Porto, pessoal médico a tirar a bata da mala do carro e a vesti-la ali mesmo. Porque as instalações não oferecem coisas tão simples como um cacifo para cada funcionário.
Mau grado a falta de condições, são de valorizar iniciativas como o Programa Regional de Controlo de Infecção da Administração Regional de Saúde do Norte, que permitiu já dar formação a membros das CCI e imprimir algumas melhorias na situação.

autor Ivete Carneiro
in Jornar de Notícias
www.jn.pt

Dentaria.com © 1999 - 2002, Todos os direitos reservados.
Toda a informação apresentada é propriedade do Dentaria.com não podendo ser total ou
parcialmente reproduzida sem a devida autorização. Contacte a equipa Dentaria.com